Switch to Accessible Site
Você está a um passo mais perto...de ser uma nova pessoa.
Couple Smiling at Each Other

Artigos

Two business professionals talking

Unidos Contra o Ciclo

 

                  Quando casais têm problemas, eles se veem como inimigos um do outro. Cada um deles pensa que o outro tem a intenção de magoá-lo e que o outro não se importa com ele. Eles formam um ciclo de ataque e defesa ou busca e afastamento do qual eles não conseguem sair.                

                  Casais com problemas podem passar muitos anos tentando influenciar um ao outro e sentindo-se cada vez mais desanimados e desesperançados. Infelizmente, alguns casais buscam ajuda quando o seu problema atingiu um nível tão sério que um deles já desistiu completamente do relacionamento e não quer mais fazer nada para recupera-lo.

                  Existem métodos diferentes de terapia de casais. Por exemplo, o método comportamental se baseia em comunicação. O terapeuta ensina técnicas diferentes de comunicação tais como empatia, auto expressão e negociação. Outro método é o psico-analítico, no qual a ênfase está em associar os problemas presentes com traumas da infância. Ainda outro método é o cognitivo, no qual o terapeuta ajuda a cada parceiro a identificar os pensamentos distorcidos que ele ou ela tem do outro, disputar estes pensamentos negativos e trocá-los por pensamentos baseados na realidade.  

                  O método que eu quero apresentar se chama Terapia de Casais Focalizada nas Emoções ou TCFE. TCFE é uma terapia relativamente recente que foi criada por Sue Johnson e Les Greenberg nos anos 80. Sue Johnson e Les Greenberg examinaram várias gravações das sessões de terapia dos casais que eles ajudavam e perceberam similaridades.

                  Uma coisa que eles perceberam é que os problemas geralmente acontecem como um ciclo. Uma pessoa atua de uma forma ou fala alguma coisa que provoca uma reação na outra. Esta outra pessoa, pelo seu lado responde de uma forma que confirma o que a primeira pensava a respeito dela. Isto leva a primeira pessoa a acentuar e elevar o seu protesto e a causar uma reação ainda mais intensa na outra. O casal, portanto, cria este ciclo sem querer e se torna uma vítima dele. Depois eles tentam solucionar o problema que eles estão criando, mas como eles não têm consciência do ciclo, eles somente fazem mais do que eles já estavam fazendo que não estava ajudando.

                  Por exemplo, Maria reclama de João dizendo que ele é frio e não expressa os seus sentimentos. Ele fica calado com medo de que se ele falar alguma coisa, eles vão acabar brigando. O silêncio dele confirma a crítica dela e a deixa ainda mais frustrada com ele. Ela então reclama com mais indignação e ele sai de perto dela e vai para o computador para evitar que a situação piore. Embora a intenção dele seja de proteger o relacionamento, ela interpreta a sua retirada como sendo uma falta de interesse da parte dele em escuta-lá e um desprezo aos seus sentimentos. Ela se sente rejeitada e ignorada e o segue com a intenção de conseguir alguma resposta. Ele fica indignado e acaba explodindo. Ela fica triste e começa a chorar. Ela fala para si mesma “Ele realmente não me ama.” Ele por outro lado também chega à mesma conclusão de que ela não o ama por causa do ataque dela e da crítica.

                  O ciclo acima descrito de João e Maria pode perdurar por muitos anos até que um deles, mais provavelmente Maria vai perdendo a esperança de algum dia conseguir se conectar com ele. Ela começa a esfriar e a deixar de buscá-lo. Ele pode pensar que isto seja um avanço no relacionamento e um sinal de que ela está mais tranquila. Todavia o silêncio dela é apenas um sintoma de que ela está desistindo dele e de que eles podem acabar se separando.

                  O ciclo de João e Maria é o mais comum de todos. Em TCFE nós o chamamos de busca e distanciamento. Uma pessoa fica calada com a intenção de evitar brigas e proteger o relacionamento. A outra pessoa se sente sozinha e abandonada e pensa que o seu companheiro não a ama e valoriza. Ela se sente desconectada e se aproxima do seu companheiro com a intenção de restabelecer a conexão que ela pensa que está em perigo. Todavia, o modo que ela usa para se aproximar faz com que na realidade a outra pessoa se afaste mais. Ela critica e controla o seu companheiro que se sente sufocado e sem espaço. Ela questiona o seu amor e devoção por ela e diz que ele não é mais carinhoso e atencioso como ele era no princípio do relacionamento. Ela o enche de perguntas a respeito dos lugares aonde ele vai, as pessoas com quem ele interage e o tempo que ele gasta em cada coisa que ele faz.

                  Companheiros que se distanciam costumam sentir-se confundidos e incapazes de solucionar o problema do relacionamento. Um esposo que eu ajudo falou que quando a sua esposa o ataca por ele não ser carinhoso como ela gostaria, aí é que ele não tem mesmo vontade de ser carinhoso com ela. Ele pensa, “ela quer que eu seja carinhoso, quando ela não está sendo carinhosa comigo.” Então, o afastamento dele é como uma profecia que se cumpre. A esposa termina obtendo mais do que ela estava reclamando a princípio.

                  O primeiro passo para superar este problema é reconhecer o ciclo como o verdadeiro inimigo. Enquanto o casal luta um contra o outro, eles não conseguem sair do ciclo. O segredo está no casal se unir para lutar contra o ciclo ao invés de um contra o outro. O inimigo é o ciclo e não o parceiro. Enquanto o casal luta um contra o outro, o ciclo continua tendo vantagem sobre eles.

                  É importante saber que o ciclo de busca e distância não é o único ciclo. Existem também outros ciclos, tais como ataque-ataque e distância-distância. Todavia o ciclo de busca e distância é o mais comum deles. A fim de superar o ciclo, seja ele qual for, o casal precisa de estar consciente do ciclo e aumentar esta consciência até o ponto de se libertar do ciclo. Eles também precisam ver que o verdadeiro inimigo é o ciclo e não o parceiro.

                  Por exemplo, no caso acima descrito de João e Maria, eles precisam de deixar de ver um ao outro como se fora o inimigo. Se eles continuam se vendo como inimigos, eles vão continuar neste padrão de ataque e defesa até que eles podem acabar se separando. Se eles quiserem superar seu problema, eles necessitam se unir contra o ciclo.

Schedule Appointment

Start your new path in life and be the change today!

CLICK HERE